Richard Avedon

12623268_1198689670_2110298473_040939d135_o 

Está uma manhã solarenga. O sol brilha lá fora; há-de ser uma manhã de Abril ou de Maio; sim, é um dia de Primavera. Se a foto tivesse sido tirada um minuto antes, Richard Avedon teria, provavelmente, apanhado um passarinho amarelo a espreitar à janela. 

Dorian Leigh é a modelo na fotografia. Ela começou a preparar-se há um minuto atrás; na altura, ela era uma jovem norte-americana com um chapéu Paulette. Ela foi uma das primeiras topmodels e com certeza, uma das musas de Richard Avedon. Eles estavam em 1949 e a Segunda Grande Guerra tinha acabado apenas há quatro anos atrás; depois de Christian Dior ter criado o New Look em 1947, as primeiras páginas das revistas de moda tinham todas o mesmo coordenado.

Neste fotografia, Dorian Leigh limita-se a confirmar a moda. Não. Na imagem, ela está estranhamente marota. Se há uma espécie de medo engraçado, então, Dorian está a sentir esse sentimento neste momento; mas ela está com medo de falhar a sua maquilhagem; um movimento um pouco mais brusco e todo o arranjo pode ficar estragado; e nenhuma maquilhagem pode ficar estragada numa manhã de sol.

Ela tem um casaco preto, talvez Dior, talvez Chanel. Os ombros parecem maiores do que são na realidade e ela parece pequena e magrinha. Ela parece a Audrey Hephurn por causa do nariz; o pequeno e arrebitado nariz que tanto caracteriza a actriz; mas não é tudo; o cabelo curto é parecido. A pequenina franja tem alguns cabelos desalinhados ou apenas não penteados.

As joías combinam com o look simples, branco e clássico. O colar e os brincos são da mesma família e para ser sincera, todo o look parece falar a mesma língua e podemos facilmente adivinhar o que ela poderá ter vestido além do casaco. O que será? Uma saia preta pelo joelho? E a roupa interior?

Independentemente do conjunto, há algo que nos faz olhar duas vezes para o chapéu, chegando quase à gargalhada. O chapéu. O chapéu de coelho de Dorian Leigh lembra, nos dias de hoje, as meninas da Playboy e é o pormenor mais atractivo da fotografia; o chapéu não interliga com o look do modelo, mas sim com a sua cara. Ela tem uma expressão infantil e a língua de fora faz lembrar quando as crianças têm medo ou dificuldade em fazer qualquer coisa. Então, agora, voltamos ao início, ela é uma rapariga marota com roupas caras. Aqui, Dorian Leigh é simultaneamente uma menina bonita com um estilo clássico mas também uma mulher engraçada que se tenta integrar na alta sociedade: maquilhando, vestindo, andando e falando como as mulheres mais velhas. Último pormenor que confirma esta história da “Pretty Woman” dos anos cinquenta: a desarrumação que ela tem perto dela, as caixas de acessórios, joías ou maquilhagem; pode ser um presente do seu amante, e ela está a experimentar tudo o que ele lhe deu; depois de uma noite calorosa juntos, está uma manhã solarenga e o amante de Dorian Leigh deu-lhe presentes para ela os experimentar quando acordasse.

Anúncios

2 comentários

Filed under Uncategorized

2 responses to “Richard Avedon

  1. gostei mto deste teu post. mto bem escrito

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s