Tag Archives: Vivienne Westwood

London Fashion Week: 1st Look

Vivienne Westwood

Quais é que são as semelhanças? Há indicios de mundo alicenesco por tudo o que é sitio nos tempos que correm. As colecções de Vivienne têm sempre um cunho de punk bastante forte, não fosse ela a rainha do movimento. O namoro entre o preto e o vermelho têm culminado num tweed já  habitual da designer inglesa; desta vez, os mesmos pretos fundiram-se no veludo e beijaram os rosas, os mustardas, os cremes e os castanhos. Uma promiscuidade da cor, basicamente. Harmoniosa, calorosa e apeticível. Palmas a ela.

Anúncios

1 Comentário

Filed under Uncategorized

October’s Accessories

Octoberissue

1. Alexander McQueen. 2. Kanye West to LV. 3.LV. 4. Givenchy. 5. Vivienne Westwood. 6. Timex

1 Comentário

Filed under Uncategorized

Best of London

Katie e Rose

In London we speak the english language. So, in London you should be a london citizen. Besides the London look and the power of streetstyle, I honestly thing that LFW hasn’t the best catwalk ever, but anyway, I loved it for the next sesson. 

House of Holland: the biggest surprise. The colours, the funny collection, the desire to wear. The rest – Matthew, the Miller’s sisters, Vivienne and so long were the same as always. The Burberry show was a good refresh, well done!

————————————————————————————————————————————————-

Tal como em Roma se é romano, em Londres há-que interiorizar o espírito da coisa. Além da diversidade fabulosa de streetstyle que podemos encontrar ao longo de Oxford Circus, Trafagar Square, Covent Garden ou em Portobello Road, a verdade é que a passerelle não é das melhores. Nem das mais entusiasmante. Nem das mais apaixonantes. Abaixo aquilo que mais me apraz para a nova estação de calor (que ainda não foi).

House of Holland: Curiosamente a melhor surpresa. Um bom jogo de cores, uma colecção engraçada e com uma estranha vontade de usar. O resto – Matthew, aborrecido, as manas Miller, previsiveis e igualmente aborrecidas e a tia Vivienne também não foi fantástica. A refrescar o cunho conversador e eternamente inglês, a Burberry, fantástica. Bem jogado!

00180m

00160m

House of Holand

00080m

Vivienne Westwood

00280m

Matthew

00100m

Twenty8Twelve

00340m

Burberry

Images: Style.com

1 Comentário

Filed under Uncategorized

Dresses – Updated!

Vestido. Do particípio passado vestir. Palavra única de conjugação; forma única de vestir. Sai ele vestido com um conjunto; sai ela formosa de vestido. As mulheres vestem-se com vestidos desde sempre: os vestidos azuis de Cleópatra; já antes, as peles acastanhadas, meio sujas, meio cortadas das mulheres australópitecas.

O vestido é a peça de roupa única. É simples mesmo quando tem todas as cores do arco-íris, ou é em xadrez, ou com folhos ou com quando tem mais estruturas que os prédios do Dubai.  É simples de vestir, quer seja pelos pés ora pela cabeça.  Se é Inverno,  o vestido escolhe as lãs, as malhas ou a bombazine; cobre-se  com cachecóis, gorros, luvas e afins; esconde collants ou leggins aconchegantes.

No Verão, no agora, a escolha é maior: de linhos, algodões ou sedas, os vestidos pintam-se com flores, passeiam-se pelas cores todas – do vermelho, ao amarelo, passando pelos verdes, azuis, liláses, rosas, todas, giras e vivas – pelos manchados, pelos compridos e pelos curtos. Sempre único.

O vestido é a peça de vestuário mais simples, de novo. Repetido e feminino, tem no vestido preto o maior aliado. De vestido não corpo não há preocupação com os tons da blusa ou com o corte das calças. Os vestidos são sensuais e confortáveis.

E é único porque é aquela peça que é só feminina. Saias vestem os homens, calções as crianças e calças, vestem-nas todos. Os vestidos não. Só as mulheres as vestem. Só nelas fica perfeito.

colormain3

1 Comentário

Filed under Uncategorized